IPCA – O Que É? Como Funciona? Para Que Serve?

ipca o que é como funciona para que serve 640x480 jpg - IPCA – O Que É? Como Funciona? Para Que Serve?

Você está certíssimo (a) em buscar informações para compreender o que é o IPCA, porque essa realmente é uma ferramenta muito importante em nossas vidas.

Infelizmente, a grande maioria das pessoas não se dão conta do quanto ele afeta nossas vidas.

O IPCA está presente em nosso dia a dia, desde nosso orçamento familiar, até no momento que ganhamos dinheiro.

Para os investidores mais ativos, acompanhar o desempenho do IPCA é ainda mais importante.

Por isso, fique comigo até o final desse artigo, e você entenderá tudo o que precisa sobre esse índice importantíssimo, desde o que ele é, como funciona, para que serve, e seu reflexo em nossas vidas, ok?

Portanto, vamos ao que interessa.

A sigla IPCA significa (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo).

O IPCA é um índice importantíssimo para a gestão da economia do país.

Ele é um instrumento financeiro que serve como um termômetro, que demonstra qual é o custo de vida da população.

Ele é considerado o índice oficial para a averiguação da inflação, ou, deflação, no Brasil.

IPCA – Como funciona?

O Índice IPCA é gerado mensalmente pelo IBGE, com o objetivo de medir a variação dos preços de mercado, para o consumidor final, de uma cesta com cerca de 350 itens.

Inicialmente, os produtos e serviços são precificados pela lei da oferta e demanda.

Ou seja, se existem produtos, ou serviços, no mercado, que tenham muita procura, acima de suas disponibilidades, o preço tenderá a subir.

Da mesma forma, se existes produtos, ou serviços, no mercado, que não tenham procura suficiente, portanto, abaixo da quantidade disponível, o preço tenderá a cair.

Más, em segundo momento, os dados de algumas ferramentas financeiras começam a afetar o poder de compra e o consumo, como é o caso da taxa de juros do país por exemplo, a taxa Selic.

O IPCA é gerado a partir de um sistema, que usa uma combinação de processos destinados a produzir índices.

Esse sistema é chamado de SNIPC (Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor).

O sistema SNIPC por sua vez, é gerenciado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O IBGE é um instituto público, de administração federal, criado em 1934 e instalado em 1936.

Para chegar ao valor do IPCA o IBGE inicialmente faz uma coleta de preços.

Para fazer a coleta dos preços, o IBGE utiliza, unidades de coleta, que são os estabelecimentos comerciais, e, de prestação de serviços, concessionária de serviços públicos, e de internet.

A coleta dos dados geralmente ocorre do dia 01, ao dia 30, de todos os meses de referência.

A geração do índice é feita com base em apenas algumas regiões metropolitanas do Brasil, como você pode ver na tabela abaixo, que também apresenta o peso de cada região:

Tabela de regiões e seus pesos.

Regiões

Peso em (%)

São Paulo >>

32,32

Belo Horizonte >>

9,74

Rio de Janeiro >>

9,41

Porto Alegre >>

8,59

Curitiba >>

8,05

Salvador >>

5,99

Goiânia >>

4,16

Brasília >>

4,09

Recife >>

3,93

Belém >>

3,91

Fortaleza >>

3,22

Vitória >>

1,86

São Luiz >>

1,62

Campo Grande >>

1,51

Aracaju >>

1,02

Rio Branco >>

0,51

Também inclui os municípios de:

_Goiânia;

_Campo Grande;

_Rio Branco;

_São Luís;

_Aracaju.

O Índice IPCA irá medir, e mostrar, qual é o custo de vida das famílias que possuem renda entre, 1, e 40 salários mínimos.

Esta faixa de renda foi criada com o objetivo de garantir uma cobertura de 90% das famílias pertencentes às áreas urbanas de cobertura do Sistema SNIPC.

Para a geração do IPCA são coletados, e calculados, os dados das seguintes despesas familiares:

Tabela de despesas e seus pesos.

Tipo de gasto

Peso em (%)

Transportes >>

20,8377

Alimentação e bebidas >>

18,988

Moradia >>

15,1593

Saúde e higiene pessoal >>

13,4575

Despesas pessoais >>

10,5972

Comunicação >>

6,1859

Educação >>

5,9519

Vestuário >>

4,801

Artigos de residência >>

4,0215

Más, nessa cesta de produtos pesquisada, provavelmente, haverá produtos que sofrerão muita oscilação preços, e outros, não sofrerão.

A partir da coleta dos preços reais, que estão sendo cobrados por esses produtos e serviços, o sistema (SNIPC) compara esses dados com os meses anteriores, e chega a um resultado, que pode ser de alta, ou, de baixa dos preços.

O resultado gerado pelo sistema (SNIPC) é o índice IPCA propriamente dito.

Se o sistema conclui que a média dos preços desses produtos e serviços, aumentou, esse fenômeno é classificado como (inflação dos preços).

Na prática, isso significa que esses produtos e serviços se tornaram mais caros para serem consumidos pela população.

Em outras palavras, isso significa que o custo de vida da população aumentou, o que por usa vez, também aumenta o nível de pobreza da maioria da população.

Se o sistema conclui que a média de preços desses produtos e serviços, diminuiu, esse fenômeno é classificado como (deflação de preços).

Na prática, isso significa que esses produtos e serviços se tornaram mais baratos para serem consumidos pela população.

Em outras palavras, isso significa que o custo de vida da população diminuiu, o que por usa vez, também aumenta o nível de riqueza da maioria da população.

A deflação é um fenômeno muito comum em países de primeiro mundo, onde a economia é controlada de forma eficiente, más, muito raro e difícil de ser visto em países de terceiro mundo como o Brasil.

Más, além dos citados, vários outros fatores também influenciam a alta do IPCA, como a quantidade de dinheiro em circulação na sociedade por exemplo.

Ou seja, quando a economia está caminhando bem, com bom nível de empregos, e boa quantidade de abertura de novas empresas por exemplo, isso acarretará, em uma maior quantidade de moeda em circulação, certo?

Isso por consequência, manterá um bom nível de consumo, e, de renda, pela maioria da população, ok?

Se a quantidade de dinheiro em circulação não seja controlada pelo Banco Central, a tendência é que o valor do IPCA suba demais.

Em outras palavras, a inflação pode subir muito.

Isso acarretaria a perda de poder de compra por parte da população.

Ou seja, o dinheiro perderá valor.

Por isso, o Banco Central determina metas para a inflação.

Essa meta funciona como um farol para a economia.

E através dos mecanismos de controle da economia, o Banco Central pode conter, ou, estimular, a inflação de determinado período, ok?

Quais são as causas da inflação?

É muito difícil apontar causas específicas para a existência da inflação, isso porque a economia segue uma dinâmica bastante complexa.

De modo geral, as oscilações dos preços estão sujeitas a várias situações sociais, como por exemplo, financeiras, geográficas, desastres climáticos, decisões políticas, entre outros fatores.

Por isso, para apontar uma causa mais provável para a inflação, precisamos analisar os fatores que podem estar influenciando uma possível alta, no momento da análise.

Como os fatores que vemos atualmente, julho de 2020, com a pandemia do corona-vírus por exemplo.

A pandemia está ocasionando o fechamento de vagas de trabalho, e perda de poder de consumo de parte da população, com isso, em um primeiro momento, devido à incerteza do futuro, como algumas pessoas estocaram comida, vimos os preços de alguns produtos subirem (inflação), más, agora, com a queda do consumo estamos vivenciando o fenômeno da (deflação).

E para tentar corrigir esses problemas, vemos que o governo está fazendo com que a taxa de juros do país também caia.

Isso tem o objetivo de estimular novamente a economia.

Más, de modo geral, existem alguns acontecimentos mais importantes, que afetam a economia, e, que podem causar a inflação, entre eles posso citar:

_Cartéis empresariais;

_Aumento nos custos de produção;

_Baixas de produção;

_Desequilíbrio dos gastos públicos;

_Má gestão da economia.

A má gestão ocorre por exemplo, quando o governo injeta muito dinheiro na economia, seja através da impressão de cédulas, ou, facilitando muito o acesso ao crédito.

Isso por sua vez, faz com que a (oferta excessiva) de dinheiro, acabe ultrapassando a sua necessidade (demanda).

O grande problema do excesso de dinheiro disponível (sobrando), em circulação na sociedade, é que pela lei da oferta e demanda, o dinheiro passa a valer menos.

Em outras palavras, o excesso de dinheiro em circulação também pode causar a (inflação).

Ou seja, a má gestão pode ocasionar o desequilíbrio da lei da oferta e demanda, o que pode causar uma alta exagerada nos preços (inflação).

Entendeu o grande poder que o Banco Central tem em mãos?

Outro fenômeno que estamos vivenciando atualmente com a pandemia do corona-vírus, é o aumento indevido dos preços, por parte dos comerciantes, somente por eles acharem que o consumo iria subir.

Isso ocorreu porque algumas pessoas, com medo, estavam estocando comida em casa.

Ou seja, estavam fazendo grandes compras de uma só vez.

Isso acarretou uma falta imediata de produtos nas prateleiras, (faltaram produtos para reposição), o que fez com que alguns comerciantes, mal-intencionados, elevassem os preços, visando lucrar mais, com a alta demanda.

Outro fato que pode gerar a alta da inflação, são os fatores econômicos externos.

Se o dólar sobe muito, e, se juntamente com isso, ocorre uma quebra de safra nos Estados Unidos por exemplo, os produtores brasileiros darão preferência para exportar seus produtos, ao invés de vendê-los no mercado interno.

Isso por sua vez, acarretará a falta de produtos para consumo dentro do país, o que gerará uma alta indevida dos preços desses produtos (inflação).

Vejo claramente esse fenômeno acontecer, no momento que escrevo esse post, com relação à carnes.

Ou seja, o dólar está cotado acima de R$ 5 reais, isso por si só já estimula a exportação, esse fato, somado à boa produção interna de carnes, e, a uma queda da produção estrangeira, está resultando no preço absurdo da carne para consumo interno, com o preço da picanha estando acima de R$ 60 reais o quilo!

Como é que fica o churras do final de semana desse jeito amigo (a)? Fala pra mim?

Bem, voltando ao assunto, uma inflação gerada por fatores climáticos, pode ser gerada por uma quebra de safra por exemplo.

Quando ocorre a falta, ou, o excesso de chuvas, isso pode fazer com que a produção de alimentos caia repentinamente.

Com isso, faltará certos produtos no mercado, o que acarretará a alta dos preços.

E outro fato que pode gerar uma alta da inflação de forma indevida, é a própria existência da projeção da meta de inflação para o ano seguinte.

Ou seja, se a meta da inflação para o ano seguinte, é maior do que a do ano atual, isso acaba estimulando as empresas a aumentarem seus preços, no ano seguinte, pela simples existência da meta de inflação.

Calendário de Coleta de dados para o Ano de 2020.

Mês

Períodos

Janeiro >>

28/12 – 28/01

Fevereiro >>

29/01 – 02/03

Março >>

03/03 – 30/03

Abril >>

31/03 – 29/04

Maio >>

30/04 – 28/05

Junho >>

29/05 – 30/06

Julho >>

01/07 – 28/07

Agosto >>

29/07 – 27/08

Setembro >>

28/08 – 28/09

Outubro >>

29/09 – 27/10

Novembro >>

28/10 – 27/11

Dezembro >>

28/11 – 29/12

IPCA – Para que serve?

ipca para que serve 640x426 jpg - IPCA – O Que É? Como Funciona? Para Que Serve?

Com tudo que vimos até aqui, podemos concluir que o IPCA é uma ferramenta financeira, que é utilizada para a gestão da economia do país.

O IPCA é um indicador que mostra uma média do quanto o dinheiro da população se valorizou, ou, se desvalorizou em determinado período.

O Governo, mais especificamente o Banco Central, utiliza o IPCA para compreender, administrar, também para controlar, os rumos financeiros da sociedade, e, do país de modo geral.

Ou seja, através da leitura dos dados do IPCA, o Banco Central pode fazer ajustes em outras ferramentas financeiras da economia, como a taxa de juros Selic por exemplo, com a finalidade de controlar a economia de modo geral.

Portanto, o Banco Central também se baseia no índice IPCA para tomar as suas decisões relacionadas ao controle da inflação, aumentando, ou, diminuindo os estímulos ao consumo.

O Banco Central pode estimular, ou, desestimular o consumo, encarecendo, ou, barateando, o custo dos empréstimos por exemplo, (custo por tomar dinheiro emprestado).

E o Banco Central faz isso através do controle da taxa de juros oficial do país, que é mais conhecida como Taxa Selic.

IPCA - Como ele afeta nossas vidas?

ipca como ele afeta nossas vidas 640x480 jpg - IPCA – O Que É? Como Funciona? Para Que Serve?

Bem, agora ficou bem mais fácil de entender como o índice IPCA afeta diretamente as nossas vidas, não é mesmo?

Vou começar explicando como o IPCA afeta a nossa qualidade de vida.

Sabe-se que, se o custo dos empréstimos estiver muito acessível, ou seja, se estiver muito barato para pegar dinheiro emprestado, acarretará o aumento da tomada de empréstimos, o que resultará no aumento do consumo por parte da população, não é verdade?

Com isso, para que o consumo seja controlado, o Banco Central pode tomar a decisão de aumentar a taxa de juros, encarecendo a tomada de dinheiro emprestado, o que acarretará a diminuição da tomada de empréstimos, ok?

E isso por sua vez, resultará na diminuição do consumo por parte da população, certo?

Portanto, como vimos, o Banco Central usa os dados e as ferramentas da economia para tomar suas decisões, ok?

Ou seja, se a economia é afetada de forma negativa, como está ocorrendo agora, com a crise gerada pelo, corona-vírus, vemos claramente, que com a perda de vagas de emprego, o consumo da população caiu.

Por consequência, a economia esfriou, a inflação caiu, e, a qualidade de vida de algumas pessoas também caiu.

Portanto, a partir de agora, a economia precisa ser estimulada, certo?

E para estimular a economia, em um primeiro momento, o Banco Central precisa facilitar o acesso ao crédito, não é verdade?

Portanto, verificando as necessidades atuais do país, de aquecer a economia, e facilitar o acesso ao crédito, o Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central), fez ajustes, baixando a meta de inflação do ano, e, baixando a taxa de juros básica do país, a taxa Selic, para que assim, as pessoas consigam tomar dinheiro emprestado de forma mais fácil, ok?

A taxa Selic representa, quanto o Governo pagará de juros, ao pegar dinheiro emprestado do mercado.

E é o principal mecanismo de controle da inflação no Brasil.

Portanto, quando é verificada uma alta exagerada da inflação, ela sobe, com o objetivo de frear a inflação, ou, se é verificada a necessidade de estimular o consumo, ela baixa.

Quando a Selic cai, as demais taxas de juros tendem a baixar.

Por isso, vemos a taxa Selic atualmente, julho de 2020, no seu mais baixo patamar histórico, a 2,25% ao ano.

Neste patamar, diversas linhas de crédito tiveram os seus juros reduzidos, e, as opções de financiamentos aumentaram.

As consequências disso serão o aumento da tomada de empréstimos, o aumento da geração de novas empresas, o aumento de novas vagas de emprego, e por consequência, o aumento do consumo.

O aumento do consumo, por sua vez, aquecerá a economia, o que por consequência, melhorará a qualidade de vida das pessoas.

Más, já sabemos que o aumento do consumo, gerará o aumento futuro da inflação, o que futuramente, gerará a necessidade de uma nova intervenção do Banco Central na economia, para controlar essa alta da inflação, ok?

Como o IGPM afeta o IPCA?

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGPM) é um indicador gerenciado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Seu objetivo é o mesmo, medir a variação dos preços ao consumidor.

Esse índice tem o poder de influenciar o IPCA, porque ele é a principal taxa para a precificação dos aluguéis.

Portanto, se o IGPM sobe, os valores dos aluguéis também sobem.

E, por este indicador entrar no cálculo do IPCA, o IPCA também tenderá a subir.

Como o INPC afeta o IPCA.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) é outro indicador calculado mensalmente pelo IBGE.

A principal diferença desse indicador, é que ele considera o comportamento dos preços para as famílias com menor poder aquisitivo.

Ou seja, famílias com renda de até 5 salários mínimos.

E, o indicador INPC, tem diversos pontos que são monitorados pelo IPCA.

E, o INPC é utilizado para realizar ajustes salariais.

Portanto, ele afeta diretamente toda a classe trabalhadora.

IPCA-15, o que é?

O IPCA-15 é simplesmente uma prévia do IPCA.

E, ele é utilizado para fazer ajustes do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano).

Este indicador tem o diferencial de ser medido a partir do dia 16 ao dia 15 do mês seguinte.

Ou seja, ele é gerado a partir do meio do mês.

Bem, como você pode ver, todos esses indicadores são influenciados pelas decisões do Banco Central, tanto para à manutenção dos níveis de inflação, quanto para o controle da taxa de juros.

Portanto, todas as decisões do Banco Central têm sérias consequências para a qualidade de vida da população em geral.

Isso ocorre porque esses instrumentos de controle afetam diretamente, desde o nosso orçamento doméstico, permitindo com que falte, ou, sobre dinheiro no final do mês, até a rentabilidade de nossos investimentos, podendo fazer com que tenhamos um ganho maior, ou, um ganho menor, sobre os nossos investimentos.

E, os nossos investimentos, também são afetados, porque várias modalidades de investimentos têm seus prêmios atrelados, tanto ao índice IPCA, quanto à taxa Selic, como veremos a diante.

Más, para ficar ainda mais clara a importância do controle de todos esses indicadores, em especial, a inflação, através do IPCA, basta olharmos para os anos em que existia hiperinflação no Brasil, que ocorreu entre as décadas de 80 e 90.

Nesse período, como a inflação era muito alta, os preços precisavam ser remarcados diariamente.

E era comum um produto iniciar o dia com um preço, e terminar com outro mais caro.

E a cada dia que passava, era preciso mais e mais dinheiro para comprar o mesmo produto.

Dados históricos mostram que a média de inflação nesse período ultrapassou os 400%.

Foi uma época terrível, tanto para os consumidores, quanto para os empresários.

Espero que esse cenário tenebroso nunca mais volte a assombrar o Brasil.

IPCA – O que é a inflação acumulada?

Existem vários métodos para mensurar a oscilação da inflação dentro de determinado período, entre eles está a inflação acumulada.

A inflação acumulada, procura apresentar quais são as possíveis consequências da oscilação dos preços à longo prazo.

Portanto, o IPCA acumulado apresenta a soma das taxas de inflação que foram registradas dentro de determinado período.

Como referência de período, pode-se tomar o ano normal, de janeiro a dezembro, ou, uma janela de tempo qualquer, como 12 meses consecutivos, como de abril de 2019, a março de 2020, por exemplo.

Como a inflação acumulada é calculada?

Para o cálculo da inflação acumulada, é utilizada uma média ponderada dos IPCA´S dos meses, do período.

Más, se você quiser saber qual é a inflação acumulada, felizmente não precisa fazer esse cálculo, porque no site do Banco Central existe uma ferramenta muito boa, que é disponibilizada para uso de forma gratuita para a população.

Trata-se da, Calculadora Do Cidadão.

Para utilizar a ferramenta faça o seguinte:

_Selecione o índice de interesse, por exemplo, o (IPCA);

_Selecione o período de interesse, por exemplo, de 01/19 a 06/19.

_Informe o valor a ser corrigido, por exemplo, R$ 1.000,00.

_No caso, o valor apresentado será o resultado, em porcentagem, do IPCA acumulado durante o período selecionado.

IPCA – Como foi a evolução do índice nos últimos anos?

ipca como foi a evolução do índice 640x426 jpg - IPCA – O Que É? Como Funciona? Para Que Serve?

O IPCA é divulgado entre a primeira e a segunda semana de todos os meses.

Nas tabelas abaixo, você pode conferir a evolução do IPCA desde o ano de 2016, até o ano de 2019.

Tabela de evolução do IPCA ano de 2016.

IPCA

Valor (%)

Acumulado 12 meses (%)

  Janeiro 2016 >>

1,27

10,71

  Fevereiro 2016 >>

0,90

10,36

  Março 2016 >>

0,43

9,39

  Abril 2016 >>

0,61

9,28

  Maio 2016 >>

0,78

9,32

  Junho 2016 >>

0,35

8,84

  Julho 2016 >>

0,52

8,74

  Agosto 2016 >>

0,44

8,97

 Setembro 2016 >>

0,08

8,48

 Outubro 2016 >>

0,26

7,87

 Novembro 2016 >>  

0,18

6,99

Dezembro 2016 >>

0,30

6,29

  Tabela de evolução do IPCA ano de 2017.

IPCA

Valor (%)

Acumulado 12

meses (%)

Janeiro 2017 >>

0,38

5,35

Fevereiro 2017 >>

0,33

4,76

Março 2017 >>

0,25

4,57

Abril 2017 >>

0,14

4,08

Maio 2017 >>

0,31

3,60

Junho 2017 >>

– 0,23

3,00

Julho 2017 >>

0,24

2,71

Agosto 2017 >>

0,19

2,46

Setembro 2017 >>

0,16

2,54

Outubro 2017 >>

0,42

2,70

Novembro 2017 >>

0,28

2,80

Dezembro 2017 >>

0,44

2,95

Tabela de evolução do IPCA ano de 2018.

IPCA

Valor (%)

Acumulado 12

meses (%)

Janeiro 2018 >>

0,29

2,86

Fevereiro 2018 >>

0,32

2,84

Março 2018 >>

0,09

2,68

Abril 2018 >>

0,22

2,76

Maio 2018 >>

0,40

2,86

Junho 2018 >>

1,26

4,39

Julho 2018 >>

0,33

4,48

Agosto 2018 >>

-0,09

4,19

Setembro 2018 >>

0,48

4,53

Outubro 2018 >>

0,45

4,56

Novembro 2018 >>

-0,21

4,05

Dezembro 2018 >>

0,15

3,75

  Tabela de evolução do IPCA ano de 2019.

IPCA

Valor (%)

Acumulado 12

meses (%)

Janeiro 2019 >>

0,32

3,78

Fevereiro 2019 >>

0,43

3,89

Março 2019 >>

0,75

4,58

Abril 2019 >>

0,57

4,94

Maio 2019 >>

0,13

4,66

Junho 2019 >>

0,01

3,37

Julho 2019 >>

0,19

3,22

Agosto 2019 >>

0,11

3,43

Setembro 2019 >>

– 0,04

2,89

Outubro 2019 >>

0,10

2,54

Novembro 2019 >>

0,51

3,27

Dezembro 2019 >>

1,15

4,31

Você pode averiguar que o índice fechou o ano de 2019 em alta de 1,15%.

Também fechou em alta, em comparação ao mês de novembro.

O acumulado do ano fechou em alta de 4,31%.

E curiosamente, o mês de setembro fechou em deflação.

Na tabela abaixo, você pode averiguar a evolução da inflação acumulada dos últimos 12 meses, de toda a década, de 1999 a 2019.

Evolução do IPCA acumulado de 12 meses.

 Inflação

Taxa (%)

 Meta (%)

2019 >>

4,31

4,25

2018 >>

3,75

4,5

2017 >>

2,95

4,5

2016 >>

6,29

4,5

2015 >>

10,67

4,5

2014 >>

6,41

4,5

2013 >>

5,91

4,5

2012 >>

5,84

4,5

2011 >>

6,50

4,5

2010 >>

5,91

4,5

2009 >>

4,31

4,5

2008 >>

5,90

4,5

2007 >>

4,46

4,5

2006 >>

3,14

4,5

2005 >>

5,69

4,5

2004 >>

7,60

5,5

2003 >>

9,30

8,5

2002 >>

12,53

3,5

2001 >>

7,67

4,0

2000 >>

5,97

6,0

1999 >>

8,94

8,0

Interessante notar que a inflação acumulada no Brasil, quase sempre fica acima da meta do governo.

E, o monitoramento do índice IPCA é importante, justamente para a correção de qualquer situação mais importante.

IPCA - Como esse índice afeta nossos Investimentos?

ipca como esse índice afeta nossos investimentos 640x427 jpg 1024x587 - IPCA – O Que É? Como Funciona? Para Que Serve?

Bem, praticamente todos os investimentos são afetados pelo IPCA.

Você, vivendo no Brasil, que é conhecidamente um país com histórico de disparada da inflação como vimos anteriormente, deve se atentar em proteger, ao menos parte dos seus investimentos, desse fenômeno.

Ou seja, você precisa garantir, que ao menos, parte dos seus investimentos, tenha uma rentabilidade superior à inflação do período.

Esse tipo de rentabilidade acima da inflação é conhecido como ganho real, ou, (prêmio real).

Portanto, para que o ganho seja considerado como real, ele precisa ser superior à inflação de determinado período, já deduzido também taxas e tributos.

Isso é muito importante porque dependendo do volume de capital investido, fazendo as contas, você ainda pode perder dinheiro.

Como é o caso de aplicações na poupança por exemplo.

Como a rentabilidade da poupança é muito baixa, quando consideramos a perda de poder de compra gerada pela inflação, na verdade, o capital está perdendo poder de consumo, ao invés de ganhar.

Ou seja, o patrimônio está sendo perdido, ao invés de ser aumentado.

Por isso é tão importante garantir que pelo menos, parte de nossa carteira de investimentos seja protegida da inflação.

E fazemos isso diversificando nossos investimentos.

Podemos diversificar nossos investimentos, protegendo-o da inflação, aplicando também, em modalidades de investimento que, de alguma forma, estão atreladas ao IPCA, como alguns títulos do tesouro direto, e, alguns investimentos de renda fixa, como veremos.

Tipos de ativos que podem proteger seu dinheiro da alta da inflação. 

No Tesouro Direto:

  • Tesouro IPCA + (antiga NTN-B principal).

Quando o objetivo é proteger o capital da inflação, o título Tesouro IPCA + é ideal para isso.

O título Tesouro IPCA+ protege o seu dinheiro porque ele paga, justamente, o valor referente ao índice IPCA do período, somada à uma taxa, que é predeterminada no momento da compra.

Ou seja, ele possui uma parte de sua rentabilidade atrelada ao índice IPCA, e, a outra parte, consiste em uma taxa de juros prefixada.

Portanto, este é um título híbrido, pois paga o que chamo de (prêmio duplo).

Esse é o investimento ideal para garantir que o seu dinheiro receba um ganho real, acima da inflação.

  • Tesouro IPCA + com Juros Semestrais (antiga NTN-B).

Este é um título semelhante ao Tesouro IPCA +, com o diferencial de permitir retiradas periódicas através do pagamento de cupons semestrais.

E se você gostaria de aprender tudo sobre os investimentos no tesouro direto, nosso post Tesouro Direto – Um guia completo grátis será muito útil para você, confere lá ok?

E se você quiser descobrir tudo sobre o título mais popular do Tesouro Direto, que está fazendo muitas pessoas abandonarem a poupança, nosso post específico sobre o título Tesouro Selic – Entenda tudo sobre esse título ajudará você nessa missão, não deixe de conferir depois, beleza?

Dando continuidade, vamos aos outros tipos de investimentos que, de certa forma, estão atrelados ao IPCA.

Na renda fixa:

 

  • Letras de Crédito Imobiliário (LCI).

As LCI´s possuem uma modalidade híbrida, que também pode ser atrelada ao índice IPCA.

Essa modalidade rende uma taxa prefixada, determinada no momento da compra, somada à variação do índice IPCA.

  • Letra de Crédito do Agronegócio (LCA)

As LCA´s também possuem uma modalidade híbrida, que também pode ser atrelada ao índice IPCA.

Más, essa variação do título é mais difícil de ser encontrada, e, quando é encontrada, geralmente possui um prazo maior.

Para mim, esses são os melhores investimentos capazes de proteger o nosso dinheiro dos efeitos corrosivos da inflação.

Más, esses são apenas alguns exemplos, existem outros no mercado, que não estão atrelados ao IPCA, mas que podem gerar rentabilidades bem superiores a esses exemplos, como os investimentos no mercado de ações por exemplo.

Más, a escolha fica a critério de cada um.

Um dos segredos para se tornar um investidor bem sucedido é conhecer as melhores opções de investimentos existentes, e, saber qual tipo de investimento terá as melhores rentabilidades de acordo com cada cenário.

Portanto, se você quiser conhecer um método matador para investir no mercado de ações, recomendo fortemente que leia o nosso artigo, curso aprenda como investir em ações – visão do autor.

Conclusão.

ipca o que é como funciona para que serve conclusão 640x480 jpg - IPCA – O Que É? Como Funciona? Para Que Serve?

Bem amigo (a), como você pôde constatar, sem dúvida nenhuma, acompanhar o índice IPCA do período é um fator muito importante, tanto para nossa vida no dia a dia, quanto para nossa vida como investidores.

E como você pôde constatar, vale muito a pena aprender a investir em outras modalidades, tanto para proteger nosso dinheiro da inflação, investindo em modalidades que tragam um ganho real, quanto para sair da poupança, e assim, evitar perder dinheiro.

Más, para você começar a investir nas modalidades recomendadas, como o Tesouro Direto, o ideal é abrir uma conta em uma corretora de valores, e para ajudar você a escolher quais são as melhores, criei um post especialmente para isso, trata-se do post como escolher uma corretora de valores – um guia completo para descobrir as melhores.

Bem, espero que este post tenha sido útil para você.

E, para aumentar ainda mais o seu conhecimento sobre finanças e investimentos, recomendo fortemente que você leia nossos outros posts, ok?

E se você tiver mais alguma dúvida, fique à vontade para escrevê-la em nossos comentários.

Forte Abraço!

Marcio Watanabe.

Fonte de informações: Banco Central / IBGE.

Crédito de imagens: Pixabay.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *