Poupar Dinheiro.

clube patrimônio poupar dinheiro 300x300x png - Poupar Dinheiro.

O conceito de poupar dinheiro está diretamente ligado ao conceito de economizar.

A ideia aqui é fazer com que sobre dinheiro após descontarmos nossos gastos com despesas mensais.

Más, para que seja possível poupar, primeiramente é preciso ganhar bem, se você ainda não viu nossas dicas sobre como ganhar mais, confira aqui.

Agora se você já ganha bem, más está com dificuldades para organizar sua vida financeira, para assim, fazer sobrar dinheiro no final do mês, você pode se interessar em ver nossas dicas sobre finanças pessoais.

Bem, os conceitos de economizar e poupar andam de mãos dadas, e são de extrema importância para o aumento do patrimônio, chegam a ser até mais importantes do que o conceito de ganhar dinheiro, pois caso não se queira economizar e poupar, qualquer tamanho de ganho pode ser consumido rapidamente.

Por outro lado, uma pessoa disciplinada, mesmo que não tenha uma renda alta, ainda pode acumular um belo patrimônio no longo prazo.

Por exemplo:

Uma pessoa pode ganhar R$ 5 mil reais por mês, más, controlar os gastos, economizar e conseguir poupar, por exemplo, 50% do seu ganho, o que dariam R$ 2.500 reais por mês, e R$ 30.000 mil reais anuais, se ela manter esse ritmo, ao longo de 20 anos terá acumulado R$ 600 mil reais.

Por outro lado, uma pessoa que ganha R$ 10 mil reais por mês, más, que não pensa em economizar para poupar, pode acabar guardando menos do que uma pessoa que ganha um salário menor, ou até mesmo gastar todo seu dinheiro.

Por exemplo:

Se a pessoa ganha R$ 10 mil reais, más, gasta demais e guarda somente R$ 1 mil reais por mês, ela irá guardar R$ 12 mil reais por ano, e ao longo de 20 anos terá acumulado R$ 360 mil reais.

Ou seja, no mesmo período de 20 anos, mesmo ganhando a metade do salário, a pessoa disciplinada conseguiu acumular um patrimônio de R$ 240 mil reais a mais.

Isso sem contar possíveis rentabilidades de investimentos.

O grande problema é que, nos dias de hoje, gastar mais do que se deveria é muito, muito fácil, e existe uma palavra que defini exatamente o significado desse fato, ela é conhecida como “ostentação”.

Muito cuidado com a ostentação!

Na minha opinião, a ostentação é a pior das armadilhas para quem deseja aumentar patrimônio.

O problema é que muitas pessoas não entendem que existe uma grande diferença entre capacidade de consumir, e vontade de consumir.

Não há problema em adquirirmos bens que nos deem prazer e conforto, desde que seu custo de aquisição caiba dentro de nossa capacidade real de consumo.

Não podemos esquecer, que o objetivo principal aqui é trabalhar a formação e o aumento de um patrimônio robusto e consistente.

Para isso é muito importante eliminar conceitos errados, como o conceito de consumir de forma irresponsável.

Todos queremos ter o melhor carro, e morar na melhor casa, más, isso deve estar dentro do nosso poder real de consumo.

Durante a fase de formação de patrimônio, adquirir um objeto de desejo exageradamente caro, pode exercer um efeito muito prejudicial.

Os carros de luxo por exemplo, trazem embutido, uma série de despesas invisíveis que podem multiplicar em várias vezes as nossas despesas mensais.

Portanto, tenha muito cuidado com isso.

A falsa sensação de poder, exercida pela ostentação, pode ser o tiro no pé.

Algumas pessoas que gostam de ostentar, na verdade, sofrem de um grave problema de descontrole emocional, que as impede de aceitar frustrações.

Por isso, elas não conseguem impor limites a si mesmas, portanto, não impõem limites a seus hábitos de consumo.

E o pior é que muitas dessas pessoas, acreditam estarem fazendo a coisa certa.

Um exemplo típico de ostentação muito prejudicial quando falamos de poupar dinheiro.

Um grande atleta, que ganhe R$ 10 milhões de reais por mês, tem total tranquilidade para comprar um veículo de R$ 200 mil reais, porque esse tamanho de gasto é totalmente compatível com seu poder de consumo, e ridiculamente pequeno em comparação com a sua capacidade de geração de capital, pois representa apenas 2% de sua renda mensal.

Agora, uma pessoa que tenha uma renda de R$ 5 mil reais por mês, pode ter vontade, e pode até financiar um veículo de R$ 200 mil reais, más, o comprometimento desses R$ 200 mil reais com relação à capacidade de ganho dessa pessoa é totalmente desproporcional, não se encaixa em sua capacidade de consumo, pois essa compra representa uma dívida que corresponde a 40 meses de salário.

Pode acreditar, tem muitas pessoas fazendo isso por aí. Espero sinceramente que não seja seu caso.

Por incrível que pareça, existem pessoas que tem rendas altas, que ultrapassam a casa dos R$ 20 mil reais por mês, e mesmo assim, possuem um patrimônio pequeno, outras não possuem patrimônio, e o mais inacreditável, algumas pessoas que têm rendas muito boas, só possuem dívidas.

Muitas vezes, esse tipo de cenário é causado pela ostentação, por manter um estilo de vida extravagante, luxuoso e acima da sua capacidade real de consumo.

Isso mesmo, a ostentação é uma ilusão que pode atrasar, e até destruir vidas.

Pois independentemente do tamanho da renda de uma pessoa, ela pode sim, gastar todo o seu ganho em coisas supérfluas. Seja a renda de 10 mil reais, ou, 50 mil reais por mês, pode acreditar, existem gastos capazes de consumir qualquer tamanho de renda.

Com isso concluímos que independentemente do quanto você ganha, para acumular patrimônio é preciso ter foco, ter um objetivo, ter a vontade de fazer com que sobre dinheiro no final de um período, caso contrário, se tornará impossível.

Essa equação é uma máxima inquestionável, a prova disso são os casos de pessoas que foram extremamente ricas e famosas, más, perderam tudo que ganharam e ainda ficaram endividadas.

Qual é a solução para eliminar a ostentação e conseguir poupar mais dinheiro no final do mês?

A primeira solução para eliminar o conceito de ostentação é ser mais humilde e comedido.

Comece a implementar o hábito de controlar seus gastos, escolha viver abaixo do seu poder aquisitivo.

Você pode estar pensando.

Más, eu não ganho, nem mesmo, para pagar as minhas despesas mensais?

Como vimos, essa afirmação pode ser relativa, depende de cada caso e do padrão de vida que a pessoa se acostumou a levar.

Portanto, o ideal é aprender a ajustar o seu padrão de vida ao tamanho de sua renda mensal, e fazer com que sobre o máximo de dinheiro no final do mês, essa é uma atitude de extrema importância.

Veja bem, não se trata de ser uma pessoa avarenta, e sim, de cortar seus gastos desnecessários.

Raciocine comigo.

Por exemplo:

Se você ganha o suficiente para jantar em restaurantes todos os dias, procure comer somente aos finais de semana.

Se sua renda te permite comer carne de primeira todos os dias, tente comer carne de frango de vez em quando.

Se você pode comprar um veículo que custa 300 mil reais, tente um de 100 mil ou 50 mil.

Se você pode comprar um terno de R$ 5 mil reais, experimente um de R$ 500 reais.

Se você pode viajar em férias três vezes por ano, procure viajar apenas uma.

Ou seja, se você se acostumar a gastar o suficiente, sem ostentação, você estará se treinando para economizar e a fazer sobrar dinheiro.

O melhor disso é que, se de uma hora para outra você passar a obter uma renda muito superior, você tenderá a continuar economizando, pois você já se acostumou a ser mais comedido.

Você já saberá que não precisa gastar muito mais do que gastava antes para manter seu estilo de vida, isso fará com que sobre ainda mais capital no final do mês.

A consequência positiva disso é que você poderá investir mais e mais dinheiro, e fazer crescer mais rapidamente o seu patrimônio, a sua capacidade de geração de renda passiva, e em consequência, elevará seu poder de consumo.

Ou seja, economizar em um primeiro momento será um desafio que pode ser incômodo, más, com o tempo, o resultado dessa economia começará a gerar várias vantagens para você.

Para mim, a atitude ideal a ser tomada com o dinheiro poupado é destiná-lo primeiramente, para a criação de uma sólida carteira de investimentos, que servirá como renda extra passiva, que será utilizada para fazer crescer meu patrimônio.

Com o passar do tempo, esse capital irá gerar mais e mais renda passiva.

O ideal seria, a partir dessa renda, comprar os produtos que desejamos.

A mensagem é a seguinte:

“Aplique o conceito de economizar em seu dia a dia, viva abaixo de seu real poder de consumo, e poupar se tornará inevitável.”

Vamos continuar o assunto sobre o conceito dos “quatro pilares para o acúmulo de patrimônio”, falando sobre o terceiro pilar, o investir.

“Se você gostou desse artigo, e acredita que ele poderá beneficiar um ente querido, ou a sociedade, por favor, compartilhe nas redes sociais."


"Sua opinião é muito importante para nós, então deixe seu comentário aqui embaixo, fala aí para a gente o que você achou desse artigo, pode ser uma crítica, uma dica, ou sugestão de novos artigos, ok?"

Muito Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *