Taxa Selic – O Que É? Para Que Serve?

Taxa Selic 640 x 363 jpg - Taxa Selic - O Que É? Para Que Serve?

Taxa Selic, com certeza você já ouviu falar sobre ela, não é verdade? Principalmente nos noticiários.

Com isso, você já deve ter percebido que a Taxa Selic é uma ferramenta financeira muito importante para a sua vida, tanto pessoal, quanto para os negócios, e realmente é, muito mais do que muitas pessoas imaginam.

Por isso é muito importante que você entenda mais sobre essa taxa, e como ela afeta a nossa vida como um todo, principalmente os investimentos. Ou seja, quem sabe mais, ganha mais, simples assim.

Então fique comigo até o final desse artigo, porque após sua leitura você entenderá tudo de mais importante sobre a taxa Selic, e terá mais um bom assunto para conversar com os amigos, ok?

Vamos conferir?

Selic é uma sigla, que significa (Sistema Especial de Liquidação de Custódia).

Na realidade, a Selic é um sistema (programa) utilizado pelo Banco Central (BC).

O Sistema Especial de Liquidação de Custódia (Selic), custodia, registra e liquida, todos os financiamentos diários realizados com títulos públicos federais.

Define-se como Selic, a taxa média ajustada dos financiamentos diários efetuados com títulos públicos federais.

Com isso, o risco final da transação acaba sendo efetivamente assumido pelo governo, pois seus títulos servem de lastro para a operação.

A taxa Selic é obtida mediante o cálculo da taxa média ponderada e ajustada das operações de financiamentos diários.

O que por sua vez, pode ter sido efetuado no próprio sistema (Selic) ou, em câmaras de compensação e liquidação de ativos, na forma de operações compromissadas.

Más, na verdade, existem duas taxas Selic.

A primeira taxa é conhecida como taxa Selic overnight, overnight do Selic, ou taxa Selic over, que é a taxa utilizada no mercado interbancário, (quando um banco empresta dinheiro para outro).

Ela é utilizada para determinar o valor dos financiamentos das operações com duração diária, em que são usados como garantia os títulos públicos federais.

A taxa é apurada no processamento noturno do Selic, e consolida as taxas praticadas durante aquele dia.

Com a taxa overnight é possível fazer ajustes diários para atingir a meta anual da Selic.

E a segunda taxa é a Selic meta, que é a taxa que você vê nos noticiários.

A taxa Selic meta é estabelecida pelo Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco central.

A taxa varia praticamente todos os dias, dentro de um intervalo bem pequeno, e ela se movimenta tendendo a se ajustar à meta definida pelo Copom para a Selic anual.

O Copom se reúne a cada 45 dias, oito vezes por ano, para decidir os rumos da Selic para o próximo período.

Com isso, concluímos que a Selic é um instrumento de política monetária utilizado pelo Copom para controlar os juros no país.

Taxa Selic - Para que serve?

Como a Selic representa a taxa básica da economia brasileira, ela serve como referência para todas as outras praticadas no mercado.

Ou seja, ela é utilizada como um índice, pelo qual as taxas de juros no Brasil se balizam.

Com isso, ela é utilizada como ferramenta estratégica para controlar a inflação e a estabilidade da economia no Brasil.

Como a Selic é utilizada para controlar a economia?

Como a taxa Selic representa a taxa de juros básica, ela representa o “preço” a pagar pelo crédito no país (tomar dinheiro emprestado).

Portanto, quando a taxa Selic (juros) está alta, torna-se mais caro emprestar dinheiro, o que diminui a quantidade de dinheiro em circulação.

Isso por sua vez, diminui o consumo de produtos, o que se reflete na lei da oferta e demanda. Ou seja, com mais produtos no mercado, os preços dos produtos caem (inflação baixa).

Em contra partida, quando a taxa Selic (juros) estiver baixa, a tendência é que as pessoas peguem mais dinheiro emprestado, o que aumenta a quantidade de dinheiro em circulação.

Isso por sua vez, aumenta o consumo de produtos, o que se reflete na lei da oferta e demanda. Ou seja, com menos produtos no mercado, os preços dos produtos aumentam (inflação alta).

Assim, o Banco Central usa a Selic como uma ferramenta para controlar a quantidade de dinheiro em circulação, podendo até mesmo controlar a valorização da própria moeda.

Percebeu a importância da Selic para a sua vida?

Através dessa ferramenta, o Banco Central determina os rumos da economia do país.

Como o banco central faz esse controle?

Como dito anteriormente, o Banco Central regula a quantidade de dinheiro em circulação, autorizando negociações de compra e venda de títulos federais entre os bancos.

Essas negociações ocorrem diariamente, com compromisso de revenda assumido pelo comprador, conjugado pelo compromisso de recompra assumido pelo vendedor, para a liquidação no dia útil subsequente.

O que na realidade, entende-se que as instituições fazem empréstimos entre elas.

E como o Banco Central impõe que os bancos fechem o dia de negociação com o caixa equilibrado, por lei, os bancos são obrigados a direcionar uma porcentagem de seus depósitos a uma conta do BC.

Porque como o volume de operações diárias é enorme, é comum os bancos chegarem ao final do dia com a porcentagem maior, ou menor, do que deveriam ter na conta do Banco Central.

Como os bancos são obrigados a respeitar a lei, eles têm que pegar empréstimos com outros bancos para cumpri-la.

Esta medida serve para controlar o excesso de dinheiro em circulação na economia, evitando um aumento descontrolado da inflação.

Taxa Selic – Como é feito o cálculo?

A fórmula para o cálculo da taxa Selic apresentada aqui, serve mais para entendermos melhor o seu funcionamento, porque na prática não precisamos calculá-la, pois isso já é feito diariamente pelo banco central.

A definição da taxa Selic foi publicada originalmente pelo Banco Central do Brasil por meio da Circular n° 2.900 de 24 de junho de 1999 e, com sua revogação estabelecida na Circular nº 3.868, de 19 de dezembro de 2017.

A taxa Selic encontra-se atualmente definida como parte da regulamentação do Copom publicada como anexo da mesma circular.

A taxa Selic é determinada pela média diária ponderada pelo volume de operações, de acordo com a seguinte fórmula:   

fórmula para cáclulo da taxa selic overnight - Taxa Selic - O Que É? Para Que Serve?

Onde:

µ = taxa média calculada;

Di = Taxa da i-ésima transação;

VEi = Valor nominal da i-ésima transação;

n = número de transações na amostra

Assim, a taxa média anual ajustada das operações de financiamento é calculada pelo Selic de acordo com a seguinte fórmula:

fórmula para cáclulo da taxa selic anual - Taxa Selic - O Que É? Para Que Serve?

Onde:

Lj: fator diário correspondente à taxa da j-ésima operação;

Vj: valor financeiro correspondente à taxa da j-ésima operação;

n: número de operações que compõem a amostra.

A amostra é constituída excluindo-se do universo as operações atípicas, assim consideradas:

  • no caso de distribuição simétrica: 2,5% das operações com os maiores fatores diários e 8,5% das operações com os menores fatores diários
  • no caso de distribuição assimétrica positiva: 5% das operações com os maiores fatores diários
  • no caso de distribuição assimétrica negativa: 5% das operações com os menores fatores diários.

Fonte: Banco Central

Fonte: wikipédia

Qual é a Taxa Selic hoje?

Em maio de 2020, o Copom (Comitê de Política Monetária) promoveu mais um corte na taxa, que agora está em 3,00% ao ano – o menor patamar da história.

E como você já deve ter percebido, acompanhar a cotação e a evolução da taxa Selic é muito importante para os seus investimentos.

Porque a partir do momento em que você souber quais investimentos podem ter um melhor desempenho, de acordo com cada cenário, você poderá escolher aquele que trará as melhores rentabilidades, entendeu?

Essa atitude terá um impacto muito positivo em seus lucros à longo prazo.

Você sempre poderá consultar a taxa atualizada da Selic através do site do Banco Central, como mostro no exemplo da imagem abaixo.

imagem da ferramenta do banco central para consulta da taxa Seli 1024x439 - Taxa Selic - O Que É? Para Que Serve?

E para facilitar o acompanhamento da evolução histórica da taxa Selic é muito útil utilizar uma tabela.

E no site da Receita Federal você pode consultar uma tabela mensal, que sempre é atualizada automaticamente, como no exemplo abaixo:

tabela da evolução da taxa selic mensal - Taxa Selic - O Que É? Para Que Serve?

Taxa Selic – Sua influência sobre os investimentos.

como a Selic afeta seus investimentos - Taxa Selic - O Que É? Para Que Serve?

Como disse anteriormente, acompanhar a taxa Selic é muito importante para os retornos de seus investimentos, porque de acordo com a taxa, você poderá planejar em qual modalidade colocar o seu dinheiro, e com isso, aumentar a eficiência dos seus ganhos.

Como mostrei anteriormente, no site da Receita Federal você pode consultar uma tabela da evolução mensal da Selic, que sempre é atualizada automaticamente.

tabela da evolução da taxa selic mensal - Taxa Selic - O Que É? Para Que Serve?

Se você observar a tabela de evolução histórica, perceberá que ela também reflete todos os ajustes que foram feitos de acordo com cada situação econômica que o país viveu, como o pico da crise que aconteceu entre os anos de 2015 e 2016.

E os vários cortes que a taxa Selic sofreu a partir do final de 2016 para incentivar o país a sair da crise econômica, que ainda continua em 2020, com a chegada da pandemia do corona-vírus.

Ou seja, com base na evolução histórica da taxa, com base nas informações sobre a economia em geral, e, com base na tendência de movimento da Selic para os meses e anos seguintes, conseguimos saber qual é a modalidade de investimento que poderá proporcionar os melhores retornos, e com isso, podemos nos posicionar nesses ativos a fim de melhorar nossa rentabilidade, ok?

Ou seja, dependendo da tendência, e, da cotação da taxa Selic, uma modalidade de investimento pode se beneficiar bem mais do que outra, como veremos nos exemplos a seguir para cada modalidade.

Taxa Selic – Como ela afeta os títulos públicos.

Alguns títulos públicos do Tesouro Direto têm suas rentabilidades atreladas à taxa básica de juros (Selic).

De modo geral, os títulos disponíveis seguem os seguintes indexadores:

  • Indexados à Selic;
  • Indexados à inflação;
  • Prefixados. 

O título que é mais afetado com a oscilação da taxa Selic é justamente o título que é indexado à taxa básica de juros, que é o Tesouro Selic.

Ou seja, como o rendimento desse título é indexado à Selic, o seu (prêmio) será exatamente o valor da Selic diária, também oscilará juntamente com a oscilação da taxa.

Com isso, se a taxa Selic aumenta, a rentabilidade do título também aumenta, e a Selic cai a rentabilidade do título cai.

Taxa Selic – Como ela afeta o CDI.

Como dito anteriormente, CDI significa (Certificado de Depósito Interbancário).

Este é um título privado, também, interbancário, ou seja, é utilizado apenas entre os bancos, geralmente em empréstimos de curtíssimo prazo.

Como o valor do CDI é gerado com base na taxa de juros do país, ele tem praticamente a mesma cotação da taxa Selic Over.

Ou seja, a cotação da taxa Selic, e, a cotação do CDI são praticamente as mesmas.

Na prática, quando os bancos negociam empréstimos entre si, eles podem utilizar títulos públicos como garantia, o que é feito pela cotação da Selic, também, utilizar os próprios certificados de depósito interbancário, utilizando a própria cotação do CDI.

E, o indicador (CDI) também é utilizado como referência para o pagamento do prêmio de alguns ativos de renda fixa como:

  • As Letras de Crédito Imobiliário (LCI);
  • Letras de Crédito do Agronegócio (LCA);
  • As letras de Câmbio (LC);
  • Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI);
  • Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA);
  • Também, para o pagamento de Debêntures;

Portanto, se a taxa Selic diminui, a rentabilidade dessas aplicações também diminui, e vice-versa.

Taxa Selic – Como ela afeta a Inflação.

como a Selic afeta a inflação - Taxa Selic - O Que É? Para Que Serve?

Como você deve ter entendido na explicação do início do post, a taxa Selic é utilizada para influenciar diretamente o comportamento geral da economia, incluindo a inflação.

Hoje, vivemos um momento histórico em que tanto a taxa Selic, quanto a inflação, estão nos níveis mais baixos já registrados.

O Boletim Focus de abril de 2020, mostra que a inflação poderá terminar o ano abaixo de 3,00%.

relatório fócus expectativa da Selic para final de 2020 - Taxa Selic - O Que É? Para Que Serve?

Como expliquei lá no início, o Banco Central regula a quantidade de dinheiro em circulação autorizando negociações de compra e venda de títulos federais entre os bancos.

Esta medida serve para controlar o excesso de dinheiro em circulação na economia, evitando um aumento descontrolado da inflação.

Más, na prática, como esse mecanismo afeta a nossa vida?

Por mais incrível que pareça, o Banco Central atua na economia baseando-se na tendência do comportamento humano.

Ou seja, o Banco Central prevê como será o comportamento da massa, após determinados ajustes serem feitos na economia, e assim, decidi como agir, para cada indicador econômico.

E suas atitudes por sua vez, tem o poder de conduzir os rumos do futuro do país.

E uma das principais ferramentas para isso é justamente a taxa Selic.

Com isso, os agentes do Banco Central tomam as decisões de acordo com cada cenário.

Incrível, não é?

Ou seja, se o país passa por um período difícil da economia, como o atual, em que o consumo é baixo, uma das consequências imediatas da queda do consumo é a queda da inflação.

Eles sabem que precisam estimular o consumo, para “aquecer” a economia, portanto, facilitam o consumo promovendo cortes consecutivos na taxa básica de juros (Selic).

Os agentes sabem que baixando os juros, a tendência é que haja um aumento no consumo de produtos e serviços pela maioria da população.

Más, eles também já sabem, de antemão, quais serão todas as consequências do corte das taxas de juros.

O corte dos juros acarretará o aumento do consumo, que causará o aumento da inflação IPCA (Índice de preços ao consumidor amplo).

Por isso, os agentes já sabem que com o tempo, terão que agir novamente, procurando equilibrar essa equação, e farão isso elevando gradativamente a taxa de juros (Selic), para diminuir o consumo.

Más, como isso afeta o nosso dia a dia, na prática?

Por exemplo, se uma pessoa faz um financiamento para comprar um veículo?

Neste caso, as prestações estão sujeitas à variar de acordo com a Taxa Selic, com isso, a pessoa poderá pagar mais caro, se a tendência dos juros for de alta, ou, pagar mais barato se a tendência dos juros for de baixa.

Entendeu a importância de acompanhar a tendência da Taxa Selic?

Como a inflação afeta os seus investimentos?

Muitas pessoas não sabem, más, a cotação do IPCA também é utilizada como pagamento de prêmio em algumas modalidades de investimento em *“renda fixa”.

*Na realidade, como as taxas de alguns ativos oscilam, os rendimentos não são 100% fixos.

Ou seja, algumas modalidades de investimento como o tesouro direto por exemplo, tem títulos que pagam um prêmio fixo, mais um prêmio variável, que neste caso é o IPCA.

Eu chamo esse tipo de título de, “prêmio duplo”.

Porque este título paga um prêmio fixo de 3,00% + o IPCA que é variável.

Na prática, isso significa que, por mais que a inflação dispare, você terá um ganho real de 3%, acima da inflação.

Más, por que “ganho real”?

“Ganho real”, porque a inflação tem o poder de corroer nosso poder de consumo.

Com isso, fazendo esse tipo de investimento, o seu dinheiro estará protegido dos efeitos corrosivos de compra de uma eventual disparada da inflação, ok?

De modo geral, os investimentos que são atrelados ao IPCA são os seguintes:

  • Tesouro Direto (título IPCA+, e, o IPCA + com juros semestrais);
  • Debêntures;
  • CDBs;
  • LCIs/LCAs;
  • CRIs/CRAs.

Na prática, se a taxa Selic estiver muito baixa, a inflação tenderá a aumentar, e os seus rendimentos nesses tipos de investimento podem subir.

Más, de modo geral, em se tratando do universo dos investimentos, para qualquer cenário de indicadores, o mais correto para melhorar a eficiência dos investimentos é ter conhecimentos sobre a análise gráfica e técnica, como veremos a seguir.

Resumindo:

O governo utiliza a taxa Selic como ferramenta de controle da economia, incluindo a inflação.

E, de acordo com a expectativa do cenário econômico futuro, você pode ganhar mais dinheiro se posicionando em determinado ativo, que pode ser atrelado tanto à Selic, quanto ao IPCA.

Ou, quando a expectativa para os ativos de renda fixa não for atrativa, como ocorre atualmente em maio de 2020, você pode investir em modalidades que podem trazer retornos maiores, como no caso do mercado de ações por exemplo.

Como os conhecimentos sobre análise gráfica e técnica podem ajudar os seus investimentos em renda fixa?

Como você deve ter notado nas explicações anteriores, conseguir identificar qual é a tendência futura dos indicadores financeiros é muito importante, não é mesmo?

Com isso você pode imaginar como é importante conseguir ler, também, qual é a tendência de movimento da cotação das ações, e, do próprio índice Bovespa.

Sim, por mais que muitas pessoas leigas digam que não é possível saber o que irá acontecer, eu afirmo para você que sim, é possível saber, até certo ponto.

Ou seja, como descrevi anteriormente, da mesma forma como o Banco Central sabe o que poderá acontecer com a economia de acordo com os indicadores econômicos, também podemos saber o que poderá acontecer com relação às taxas, e com relação às cotações dos ativos, com base na leitura dos indicadores gráficos e técnicos.

No mais, é para isso que as ferramentas da análise gráfica e técnica existem, justamente para que possamos entender o que está acontecendo, e o que poderá acontecer.

Más, a leitura e interpretação correta dessas ferramentas e cenários, só é possível de ser feita por quem domina esses conceitos, por isso é muito importante fazer um curso para aprender sobre análise gráfica e técnica.

Como vimos, é possível ter uma ideia da tendência que a Selic poderá tomar a médio e longo prazo, acompanhando suas cotações históricas, também, pela análise do gráfico da taxa DI (Depósito Interbancário).

Portanto, se você identificar que a taxa DI tenderá a subir, isso significa que a Selic também poderá subir, com isso, você poderá investir em ativos mais adequados para esse cenário de alta.

Portanto, de acordo com determinado cenário, é possível estimar quais eventos futuros poderão acontecer.

Por tudo isso eu reforço, ter conhecimentos sobre análise gráfica e técnica é muito importante para melhorar a eficiência dos investimentos, até mesmo para quem investe em renda fixa e títulos públicos!

Um exemplo da importância do conhecimento da análise gráfica e técnica para investimentos em renda fixa.

O sr. João, não sabe interpretar gráficos.

Más, observando a tabela histórica da Taxa Selic, João identificou que a tendência da taxa vem em queda.

Baseado na crença de que cotação continuará caindo, João resolveu investir em um ativo de renda fixa a taxas pré-fixadas, pensando em travar os juros nos patamares atuais.

Más, no mesmo momento, o sr. Juquinha, que sabe analisar gráficos, ao analisar o gráfico do (DI), que acompanha a Taxa Selic, identificou que, na verdade, a cotação dos juros está apresentando fortes sinais de esgotamento dessa queda.

Com isso, Juquinha conclui que a médio e longo prazo, a tendência da Selic tem uma chance muito maior de virar para a alta.

Baseado em sua análise, Juquinha decide investir em uma modalidade a juros pós-fixados, porque ele acredita que a partir dali, a cotação da Selic irá subir.

Vamos supor que poucos meses depois que Juquinha montou sua posição, a Selic mudou sua tendência de baixa, para uma tendência de alta de longo prazo.

Com isso, concluímos que João, que não sabia ler gráficos, montou uma posição errada, porque ele travou seus ganhos a juros baixos, e assim, perdeu toda a possibilidade de alta da Selic.

Enquanto Juquinha, com conhecimentos em análise gráfica e técnica, montou uma posição vencedora a médio e longo prazo, porque com juros pós fixados, ele poderá surfar toda a alta da Selic.

Entendeu por que conhecer sobre análise gráfica e técnica também é muito importante para investir em renda fixa?

Más, de modo geral, podemos concluir que! 

Em um cenário de Selic baixa, e IPCA baixo, investir em modalidades de renda fixa é menos rentável, o que torna mais atrativo investir em modalidades de renda variável, que pode trazer maiores retornos.

Como obter retornos maiores que a Selic na renda fixa?

como ganhar mais que a Selic - Taxa Selic - O Que É? Para Que Serve?

Muitas pessoas não sabem, más é possível obter retornos ainda maiores do que o prêmio pago pelos investimentos atrelados à taxa Selic na renda fixa.

E, diante do cenário atual da economia, que no momento que escrevo esse post está no meio da pandemia do corona-vírus, a expectativa para o curto e médio prazo, é que o retorno dos investimentos em renda fixa continue baixo, e caindo.

Com isso, é normal as pessoas procurarem por modalidades de investimento com o nível de segurança da renda fixa, más, que pague mais, não é mesmo?

Bem, a única forma de conseguir retornos maiores do que a Selic na renda fixa, é investindo em aplicações que paguem um prêmio maior do que 100% do CDI.

Más como isso é possível?

Um dos fatores que envolvem a determinação do pagamento do prêmio sobre os investimentos é o fator, “risco”.

Ou seja, toda forma de investimento carrega risco, em diferentes níveis.

Portanto, um tipo de investimento com maior nível de risco, tende a entregar uma rentabilidade (prêmio) maior, ok?

E o risco também envolve a instituição que está tomando o empréstimo, porque quando você investe, na verdade, você está emprestando dinheiro para uma instituição, em troca do prêmio.

Portanto, se você empresta dinheiro para uma instituição que tem um nível de risco um pouco maior, ela também tende a oferecer a você um retorno maior, ok?

E, no meio de todas as instituições, também estão incluídos os bancos. E entre os bancos também existem níveis de risco diferentes.

Esse nível de risco é determinado por vários fatores que não vou entrar em detalhes agora, o único fator que vou citar é o tamanho do banco, ok?

Ou seja, de modo geral, todos os bancos precisam captar recursos, inclusive os bancos menores, que geralmente tem um nível de risco um pouco maior.

E para atrair investidores, esses bancos oferecem um prêmio maior, entendeu?

Más veja bem, não é porque um banco é menor, e não é porque ele tem um nível de risco um pouco maior, que ele seja ruim, ok?

Ele só não é tão forte quanto os grandes bancos.

Más, cabe a cada um de nós fazer uma pesquisa mais aprofundada sobre a qualidade do banco que pretendemos investir, e assim, avaliar melhor o seu nível de risco.

No mais, a maioria dos investimentos em renda fixa são garantidos pelo (FGC) fundo garantidor de crédito, para investimentos de até $ 250 mil reais, por instituição financeira, por CPF.

Ou seja, de modo geral, o seu capital estará garantido se você investir dessa forma.

E, se você dividir seu capital, colocando $ 250 mil em cada banco, você conseguirá diminuir ainda mais o risco. Se esse for seu caso.

Resumindo:

Para obter retornos acima da Selic, invista em ativos oferecidos por bancos menores, que pagam prêmios bem maiores do que 100% do CDI, entre as opções você encontra CDBs, LCIs, LCAs e LCs por exemplo.

Más, vale ressaltar que, em um cenário como o atual, com a taxa Selic à 3,00% ao ano, mesmo os melhores retornos em renda fixa, não chegam nem perto das possibilidades de retornos possíveis pela renda variável.

Só para efeito de comparação, nas últimas 4 semanas, algumas empresas se valorizaram em mais de 100%.

Isso ocorre porque, após uma forte queda das cotações, como ocorreu agora devido ao corona-vírus, é normal que as cotações subam novamente, somente para corrigir a queda.

Ou seja, quanto tempo você precisaria deixar seu dinheiro na renda fixa, a 3,00% ao ano, para ter um retorno de 100%? Entende?

Portanto, se você conseguir um rendimento desses, mesmo que seja de forma parcial, sobre um terço de seu capital total por exemplo, já é muito vantajoso. 

Este é um dos fatores que faz com que a quantidade de brasileiros investindo na bolsa de valores aumente cada vez mais.

E se você se interessa em aprender mais sobre investimentos em renda variável, recomendo que leia nosso outro artigo sobre esse tema, o como investir na bolsa de valores – um guia completo para iniciantes, ou, baixe nosso eBook grátis pelo banner abaixo.

Taxa Selic – Sua influência sobre a poupança.

Deixei a poupança por último intencionalmente, porque a meu ver, para a grande maioria das pessoas que tem reservas abaixo da casa dos milhões, poupança nem pode ser chamada de investimento.

Isso pelo simples fato de sua rentabilidade ser tão baixa, que sua rentabilidade real chega a ser negativa em determinados períodos, após descontarmos a inflação.

Ou seja, para mim, isso não pode ser chamado de investimento, porque investir pressupõe ter algum lucro, e não prejuízo.

Enfim, em 2012 foi determinada uma nova regra para o cálculo da rentabilidade da poupança, que funciona da seguinte forma:

  • Se a taxa Selic for maior ou igual a 8,5% ao ano, o rendimento será de 0,5% ao mês mais a TR.
  • Se a taxa Selic estiver abaixo de 8,5% ao ano, o rendimento será de 70% da Selic do período.

Ou seja, como a taxa Selic hoje, está em 3,00% ao ano, de acordo com a regra, a rentabilidade da poupança é de ridículos, 2,1% ao ano.

Só tendo dezenas de milhões mesmo para pensar em deixar 1 milhãozinho parado na poupança, caso contrário, existem várias outras modalidades muito melhores.

Sem falar que para você ter direito ao prêmio, você só pode resgatar seu dinheiro na data de aniversário, que ocorre a cada 30 dias, se você sacar antes, perde o rendimento dos incompletos.

Para mim, esses motivos já são mais do que suficientes para me convencer de que existem, muitas alternativas de investimento, muito melhores, e com o mesmo nível de segurança.

Diante do cenário atual da economia, onde a expectativa é de continuidade de taxas baixas, e podendo ocorrer ainda mais cortes na Selic, não vejo por que ficar perdendo dinheiro na poupança.

Taxa Selic – Como ela afeta a Bolsa de Valores.

A meu ver, o principal reflexo da Oscilação da Taxa Selic na bolsa de valores, é justamente colocar, ou, retirar pessoas, dessa forma de investimento, como expliquei anteriormente.

Ou seja, quanto mais a Selic cai, como agora, a atratividade de investimentos em renda fixa também cai, em contra partida, isso atrai mais pessoas para a bolsa de valores, cuja rentabilidade histórica é bem maior do que a da renda fixa.

Da mesma forma, quando a Selic sobe muito, como ocorreu em 2016, quando a Selic chegou próximo de 15% ao ano, isso tende a retirar as pessoas dos investimentos em bolsa, porque as pessoas conseguirão uma ótima rentabilidade, em uma modalidade de investimento bem mais segura.

Outro fator interessante, é que mais e mais pessoas estão percebendo que em momentos de crise econômica como a atual, é mais confiável acreditar na solidez de empresas defensivas, como as empresas do setor elétrico e de saneamento por exemplo, do que confiar na gestão pública, emprestando dinheiro para o governo.

Como a Taxa Selic afeta a cotação do dólar.

Para entendermos melhor como a taxa Selic afeta o dólar, precisamos lembrar da lei da oferta e demanda.

Ou seja, tudo que existe em excesso, tende a perder valor, e tudo que é escasso, tende a ganhar valor.

Com isso, concluímos que, em época em que a taxa Selic está alta, como ocorreu em 2016, com a Selic chegando na casa de 14% ao ano, a tendência é que isso atraia mais investidores estrangeiros.

Isso ocorre porque em países de primeiro mundo, como os Estados Unidos, os juros anuais são muito baixos, atualmente está em 0,25% a.a.

Portanto, com mais dólares entrando no Brasil, ocorre excesso da moeda, em consequência, a cotação tende a cair.

Já no cenário atual, onde o mundo vive uma crise econômica gerada pela pandemia, os investidores estrangeiros tendem a repatriar seus dólares, outros, tendem a comprar dólares, pois o dólar é conhecido historicamente como um dos “ativos mais seguros do mundo”, porque é garantido pelo tesouro americano.

Isso, por sua vez, ocasiona a falta de dólares no mercado brasileiro, o que força a cotação a subir.

Portanto, concluímos que, se a Selic sobe, isso ajuda a cotação do dólar a cair, e, se a Selic cai, isso ajuda a cotação do dólar a subir. 

Lembrando que não é apenas a cotação da Selic que determina a cotação do dólar, são vários fatores envolvidos, como o cenário econômico Norte Americano, o cenário econômico mundial, entre outros.

Como a Taxa Selic influencia a economia de modo geral.

Como comentei anteriormente, você já deve ter percebido que a taxa Selic tem um enorme poder de influenciar vários setores da economia, vamos entender melhor essa dinâmica.

Quando o Banco Central decidi baixar a taxa de juros, isso permite com que mais pessoas possam acessar crédito, de forma mais barata.

E isso é muito positivo para aquecer a economia, veja só os vários pontos que são favorecidos com uma Selic mais baixa:

_Facilita a criação de mais empresas;

_Promove a criação de vagas de emprego;

_Facilita a expansão da indústria;

_Facilita a aquisição de empréstimos pela população em geral;

_Facilita a venda por parte do comércio em geral;

_Gera bem estar social, aumentando o consumo de alimentos pela maioria da população;

_Promove a geração de mais arrecadação de impostos para o governo;

_Enfim, promove o aquecimento da economia como um todo, entre outros fatores.

Em contra partida, a Taxa Selic estando muito alta promove o efeito contrário a tudo que foi citado, com destaque para o agravamento do índice de falências, o agravamento do índice de desemprego, o agravamento do nível de endividamento, o agravamento do bem-estar social, com a diminuição do acesso aos alimentos, o aumento dos índices de criminalidade, entre outros fatores.

Você sabia que você pode viver exclusivamente de investimentos em bolsa de valores?

Isso mesmo, muitos investidores no mundo vivem exclusivamente dessa forma, entenda como funciona.

Tudo depende do seu perfil de investidor, portanto, depende de algumas características pessoais, entre elas posso citar:

_Seu nível de aceitação ao risco;

_Seu nível de conhecimento sobre as formas de investimento;

_Seu nível de capital disponível;

_Seu nível pessoal de dedicação.

Se você tiver todas essas características favoráveis, você poderá se tornar um trader profissional, com isso, obter sua renda a partir de seus investimentos, que geralmente é a partir do mercado de ações.

Portanto, um trader nada mais é do que um investidor que tem um nível de conhecimento mais avançado, principalmente sobre o mercado de ações, e utiliza seus conhecimentos para obter uma rentabilidade capaz de gerar uma renda suficiente para suprir o seu padrão de vida.

Por isso, a quantidade de dinheiro que você dispõe, também é importante, porque por mais que uma pessoa seja um ótimo trader, existe aí um limite de rentabilidade que é possível de ser gerada de forma realista, entende?

Ou seja, com um tamanho de capital pequeno, mesmo que você consiga uma ótima porcentagem de rentabilidade, isso pode não ser suficiente para gerar um ganho financeiro satisfatório, que supra as suas necessidades, entende?

Por exemplo:

Se a pessoa tem um capital de $ 10 mil reais, ela não vai conseguir gerar uma renda mensal de $ 5 mil reais, porque para isso, seria necessário um ganho mensal de 50% sobre o capital investido, e isso é estatisticamente impossível de acontecer, entendeu?

Pontualmente isso pode até acontecer, más, historicamente falando, já sabemos que uma média de rentabilidade anual realista, possível de ser atingida, gira entorno de 30% a.a.

Isso representa uma média de 2,5% ao mês, o que é uma ótima rentabilidade.

Más, uma rentabilidade de 2,5% sobre um capital de $ 10 mil reais, representa apenas $ 250 reais por mês, entende?

Más, se você tiver um capital de $ 100 mil reais, essa rentabilidade mensal de 2,5% representa um ganho mensal de $ 2.500 reais, o que já permite que se viva desse valor, entendeu? 

Más, mesmo que você ainda tenha um capital pequeno, você pode usar o mercado de ações para acumular capital mais rapidamente, e com o tempo, conseguir acumular capital suficiente para viver exclusivamente de trades, ok?

E, se você já tem vários dos requisitos necessários para viver do mercado financeiro, e só falta o conhecimento, recomendo fortemente que conheça o meu curso sobre o assunto, trata-se de um material completo, que vai do básico ao avançado, e que ensina como investir em ações.

Conclusão.

Taxa Selic conclusão 640x369 jpg - Taxa Selic - O Que É? Para Que Serve?

Bem caro leitor (a), desejo que este post tenha ajudado você a entender melhor o quanto a taxa Selic é importante para nossas vidas.

Como você viu, a Selic está presente, ou influencia, vários momentos de nosso dia a dia, que muitas vezes nem imaginamos, não é mesmo?

Desde o trabalho que você exerce, até o que você comeu no almoço de ontem, a taxa Selic estava presente.

Acredito que daqui em diante, você olhará para essa taxa com outros olhos.

Posso te pedir um favor?

Se você acredita que este artigo foi útil e que pode beneficiar outras pessoas, compartilhe nas redes sociais e deixe seu comentário.

Com essa simples atitude você já me ajuda muito, também ajuda a propagar o conhecimento, ok?

E se você se interessou sobre o tema viver de trades, recomendo que dê uma olhada em nosso outro artigo, em que falo mais sobre esse assunto, o profissão trader- como estou ensinando meu filho a se tornar um trader vencedor.

Muito obrigado pelo seu tempo!

Te espero no próximo post. 😉

Recomendo que leia também: 

Tesouro direto – um guia completo para iniciantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *