Descubra Quanto Custa A Sua Independência Financeira.

finanças pessoais independência financeira 640x480 jpg - Descubra Quanto Custa A Sua Independência Financeira.

Saber quanto custa nossa independência financeira é um fator muito importante por vários motivos, tanto para que possamos nos motivar a agir rapidamente sem perder mais tempo, quanto para escolher uma estratégia que melhor se enquadre ao nosso perfil, e que esteja perfeitamente alinhada ao nosso objetivo de atingir a independência financeira de forma mais rápida.

Para termos uma melhor noção dos valores e suas possíveis variações, vamos nos basear em alguns dados da economia atual apresentados abaixo, que servirão como parâmetros.

Data: março de 2019.

PIB: 2,5 %

Valor da taxa Selic aproximada: 7,7%

Valor do IPCA aproximado: 4,2%

Pois bem, quando pensamos em viver exclusivamente da renda de nosso patrimônio, isso envolve a necessidade de encarar a realidade e dominarmos de forma clara os números que estão envolvidos diretamente em nossa vida cotidiana.

Ou seja, temos que ser realistas e conhecer alguns dados financeiros fundamentais, não só para sabermos o quanto de dinheiro precisamos para atingir a independência financeira, como também para nos localizarmos com relação à nossa saúde financeira atual e sabermos com clareza de quanto precisaremos para atingir nosso objetivo.

A partir da análise desses dados financeiros, teremos uma ideia mais clara se estamos no caminho certo, portanto, em uma situação tranquila, ou, se estamos em uma situação mais delicada e precisaremos adotar novas medidas para atingir a independência financeira.

Para chegarmos nesses números, precisamos estar cientes de três dados fundamentais.

_quanto é o nosso custo de vida anual, com base no padrão de vida desejado;

_o tamanho de nossa reserva de emergência.

_o valor de nossa geração de capital com base em nossos investimentos atuais.

E a partir desses dados, calculamos o valor necessário para a nossa independência financeira.

É preciso saber exatamente qual é o valor do seu custo de vida anual, com base em seu padrão de vida atual, ou, no padrão de vida que deseja ter ao atingir a independência financeira.

Com a ajuda de uma planilha é bem mais fácil, (disponibilizo uma ótima planilha em meus cursos) você deve então, de forma realista, discriminar detalhadamente cada um dos seus gastos mensais, e fazer o somatório do total anual.

Se você já tem o hábito de registrar seus gastos ótimo, será bem mais fácil, basta se basear em gastos de anos anteriores.

Para a projeção do padrão de vida em que deseja viver ao se aposentar, tente inserir todos os possíveis gastos extras que você terá após se aposentar, como viagens, refeições fora de casa, combustível, presentes, produtos que ainda não tem más que deseja adquirir, etc.

Leve em consideração também, o fato de você já ter, ou não, uma família formada, se ainda não tem, procure adicionar esses gastos, despesas com casamento, e gastos gerais com filhos (que não são poucos).

O segundo dado:

Calcular o valor de sua reserva de emergência.

Com base em seu custo de vida anual atual, determine o valor que você precisa guardar como reserva de emergência, tendo como base o número de meses que você acredita ser necessário para se manter com essa reserva caso ocorra algum imprevisto desagradável, como a perda de emprego por exemplo.

Sugiro que coloque nessa conta, no mínimo, 1 ano de gastos.

Como essa reserva de dinheiro se refere à uma necessidade de resgate rápido do dinheiro caso surja uma emergência, sem incorrer em perdas de capitalização e multas, a meu ver, a modalidade de investimento ideal para essa finalidade são os títulos públicos, mais precisamente o tesouro Selic.

Acredito que essa seja a modalidade ideal por vários motivos, entre eles, por ter rentabilidade diária, por praticamente acompanhar a taxa DI, e por ser livre de perdas no resgate, pois como não há um prazo pré acordado para resgatar, não existem multas, podendo o resgate ser feito a qualquer momento.

O terceiro dado:

Sua capacidade atual de gerar capital através de seu patrimônio.

Some a rentabilidade de todas as suas formas de investimentos atuais, como aluguéis, títulos públicos, debêntures, proventos de ações etc.

Nessa soma procure não colocar valores referentes ao recebimento de aposentadorias mesmo que seja privada, tente fazer o cálculo sem a necessidade de precisar da ajuda do INSS.

Composição da carteira e sua capacidade de geração de renda.

Como exemplo, criei uma carteira *hipotética, totalmente conservadora, onde o capital destinado à renda variável é destinado ao recebimento de proventos e não para a **especulação.

Nesse exemplo, a carteira ainda não atingiu o valor total necessário para a independência financeira.

*Esses são valores hipotéticos, onde não estão deduzidos impostos, taxas, nem custos de manutenção.

**A especulação feita de forma correta pode acelerar ainda mais a geração de patrimônio.

Considerações sobre o cálculo para sua independência financeira.

Vamos calcular o valor necessário para atingir a independência financeira, com base na necessidade de um custo de vida mensal de $ 5 mil de reais, e anual de $ 60 mil reais.

Neste ponto fica evidente porque é que tão importante conhecer seu custo de vida anual real, e ter consciência de que, quanto mais baixo for seu custo de vida, mais fácil será atingir a sua independência financeira.

Somando todas as formas de renda passiva da carteira, a capacidade de geração de capital anual é de: $ 47.200,00 reais.

Lembrando que se você estiver iniciando agora a criação de seu patrimônio, você deve primeiramente, guardar o valor de sua reserva de emergência, como uma atitude imediata.

No caso do exemplo, a reserva de emergência vai ser utilizada também como capital de giro e somada como fonte de geração de capital, fica a seu critério se vai utilizá-la dessa forma ou não.

A única regra é, se for utilizar o dinheiro da reserva de emergência como capital de giro, esse valor deve ser reposto após o pagamento dos prêmios. E de preferência utilizar esse dinheiro somente em caso de necessidade extrema.

Para a pessoa que já tem um montante de capital que se aproxima do exemplificado, fica muito fácil atingir o objetivo.

Possível utilização da reserva de emergência na composição da carteira.

Devo observar, que o valor de 60 mil reais da reserva de emergência, pode ser utilizado como capital de giro até que os juros das aplicações sejam depositados nas contas.

Isso pode ser feito porque as formas de pagamento dos prêmios mudam de acordo com as modalidades de investimento.

Pois dependendo do tipo de investimento, os prêmios podem ser pagos mensalmente, semestralmente, e até mesmo em parcelas variadas dentro do ano, como é o caso dos dividendos, que podem ser pagos, uma, duas, três vezes no ano, ou até mesmo serem cancelados em um determinado ano.

Portanto vamos considerar 60 mil reais da reserva de emergência podendo ser utilizados como capital de giro por 12 meses.

A carteira da independência financeira.

_$ 60 mil reais da reserva de emergência em títulos tesouro Selic.

rentabilidade anual: 7%

valor anual aproximado gerado pelo investimento: $ 4.200 mil reais.

_$ 100 mil reais em títulos tesouro Selic.

rentabilidade anual: 7%

valor anual aproximado gerado pelo investimento: $ 7 mil reais.

_$ 100 mil reais em debêntures.

Rentabilidade anual: 11%

Valor anual aproximado gerado pelo investimento: $ 11 mil reais.

_$ 100 mil reais em proventos.

Rentabilidade anual: 13%

Valor anual aproximado gerado pelo investimento: $ 13 mil reais.

_uma casa alugada no valor de $ 200 mil reais.

Rentabilidade anual: 6%

Valor anual aproximado gerado pelo investimento: $ 12 mil reais.

Valor total aproximado do patrimônio: $ 560 mil reais.

Valor anual total aproximado gerado pelas rendas do patrimônio: $ 47.200,00 reais.

O quarto dado:

O cálculo do valor necessário para sua independência financeira.

A partir do valor do custo de vida determinado de $ 60 mil reais anuais, subtraímos a renda anual de $ 47.200,00 reais provindas da carteira do patrimônio atual.

Com isso chegamos ao valor de $ 12.800,00 reais que precisam ser gerados através dos ativos da carteira para atingir a independência financeira.

Com base nesse valor, calculamos a quantidade de dinheiro necessário para complementar a carteira, e assim gerar a renda complementar.

Tomarei como referência a rentabilidade paga pelo tesouro Selic para chegar ao capital complementar necessário.

Com isso chegamos ao capital extra necessário de $ 183 mil reais aportados em tesouro Selic, para que seja possível gerar o valor complementar de $ 12.800,00 reais necessários para a independência financeira.

Lembrando que o patrimônio total inicial da carteira já é de: $ 560 mil reais.

Com isso, chegamos ao valor total do patrimônio que precisa ser criado para atingir a independência financeira com base na distribuição da carteira conservadora apresentada.

Lembrando também, que esse valor deve ser suficiente para gerar a renda mensal de aproximadamente $ 5 mil reais que determinamos:

Portanto, o patrimônio mínimo necessário de acordo com os dados da economia em março de 2019 é de aproximadamente: $ 743 mil reais.

Más, percebemos facilmente que essa equação é flexível, ou seja, dependendo da variação dos dados torna-se mais fácil, ou mais difícil, atingir a geração de renda estipulada, conforme podemos ver:

_quanto menor são nossos gastos anuais, menor será o capital total necessário para atingir a independência financeira;

_dependendo da modalidade em que investirmos, e dos dados da economia, como taxa Selic e o DI (depósito interbancário), mais rápido poderemos atingir a independência financeira, pois se os dados estiverem favoráveis, será possível obter retornos melhores, o que irá acelerar o acúmulo de patrimônio.

_os dados financeiros favoráveis também diminuirão drasticamente o montante de capital necessário para gerar a renda adequada, pois com uma rentabilidade anual maior, podemos manter, o mesmo padrão de vida, com um patrimônio total menor.

Conclusão.

Quanto maior é nosso nível de conhecimento em investimentos eficientes, e quanto melhor forem os dados da economia, mais rápido atingiremos a independência financeira, e poderemos fazer isso, a partir de um tamanho de capital total menor.

Isso deixa claro a necessidade e a importância de aprendermos a investir em modalidades que podem gerar altas rentabilidades como o mercado de ações por exemplo, que pode gerar rentabilidades de 100%, 1.000%, 10.000% ou mais, em pouco espaço de tempo.   

A grande vantagem de encararmos a realidade de nossos números é saber claramente o quão perto, ou longe, estamos da independência financeira, e, saber o que é preciso ser feito imediatamente para corrigirmos nossa capacidade de geração de receita.

Se nossos números forem muito bons, saberemos que estamos no caminho certo rumo à independência financeira, se forem ruins, saberemos que temos que mudar nosso plano, e melhorar a geração de renda, seja aprimorando nossa fonte de renda principal, seja através da criação de uma segunda fonte de renda, e em paralelo, aprendendo a investir em formas mais eficientes com o objetivo de acelerar a criação do patrimônio e alcançar a tão sonhada independência financeira. 

Espero que esse post o ajude em sua caminhada.

"Sua opinião é muito importante para nós, então deixe seu comentário aqui embaixo, fala aí para a gente o que você achou desse artigo, pode ser uma crítica, uma dica, ou sugestão de novos artigos, ok?"

Muito Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *